Quando um pouco já é demais!

 

Cena de "Persona", de Igmar Bergman

Cena de "Persona", de Igmar Bergman

 

 

Tempo que não escrevo. Tempo que não tenho ideias [sem acento, odeio isso!] do que escrever. Isto porque, consegui arranjar um ótimo jeito de ocupar meu tempo livre: estou estagiando.

Lógico que isso não fez com que meus olhos se fechassem para o que ocorre ao meu redor, mas, fiquei um pouco mais cansada de tentar analisar o porque do ocorrido. Por exemplo, antes ficava bastante brava quando pegava um trânsito de fuder entre os pontos das Clínicas e da Paulista na Rebouças; hoje, apenas, olho para a janela, e fico esperando os carros passarem.

E, agora, pensando bem, não sei porque comecei a escrever, at first place. Acho que a correria faz com que esses momentos no trânsito, ou até mesmo, quando você fica esperando algo, se tornem bastante importantes. São quases momentos de reflexão!

Outro dia me peguei relaxando entre o tempo em que esperava a cera que passava numa parte do chão da sala secar, para poder passar na outra parte do chão. Estranho, quando estava na escola, tinha a tarde inteira livre, e não pensava em metade das coisas que penso hoje, em uma parada no trânsito.

Talvez isso seja o significado de crescer, saber administrar melhor o tempo. Mas, ainda sinto falta das tardes ociosas…

Anúncios